As folhas caem e as temperaturas matinais caem abaixo de zero. Estamos no inverno e temos uma grande oportunidade de nos preparar de forma saudável para uma temporada de grandes provas que irão acontecer na primavera e verão. A melhor forma de fazermos quilómetros durante a temporada de gelo e geada requer cautela por parte de cada atleta.



Dica 1: Sai porta fora!
   
O inverno é normalmente a época em que os corredores esporádicos tendem a optar por correr apenas intermitentemente ou a não correr mesmo. Durante esta temporada de sol timido e temperaturas mais frias, o facto de conseguirmos sair porta fora equipados é apenas metade da batalha, a outra metade é vencer a preguiça. Mas lembra-te, uma vez que coloques os pés no pavimento e o corpo aqueça, as corridas de inverno serão tão revigorantes como qualquer corrida de verão .

Muitos corredores normalmente perguntam se correr no inverno pode afetar os pulmões . Em termos gerais , as temperaturas extremas (muito quente ou muito frio) podem agravar problemas respiratórios já existentes. No entanto, a investigação mostra que o ar, uma vez nos pulmões, é aquecido muito rapidamente, e que o tecido pulmonar é muito bem isolado, mesmo para a mais baixa das temperaturas. Em suma, desde que se vista roupa adequada ás condições atmosféricas, não há razão para temer . O ar inspirado, uma vez inalado, continua a aquecer á medida que se move no interior do nosso corpo, não apresentando assim qualquer perigo para os pulmões .

Tradução: Sai pela porta fora, não interessa a temperatura!


Dica 2: Evite Condições de formação de gelo

Embora recomende vivamente correr em todas as temperaturas , correr em superfícies geladas apresenta um risco muito grande e deve ser evitado sempre que possível. A questão é que as superficies geladas condições mudam a tua passada e  o contacto com o solo(gait and    foot strike). O gelo e a neve vão alterar a tua passada, a cadencia o contacto do pé com o solo. Estas pequenas alterações podem provocar lesões, algumas delas graves.

Para aqueles vivem em áreas onde normalmente há neve ou gelo, recomendo que encontrem uma passadeira estável e de boa qualidade para efectuarem os vossos treinos.

Há alguns treinadores que acreditam que a passadeira não replica, em termos de eficácia, a corrida ao ar livre. Eu concordo, mas se for dada a opção entre uma passadeira e uma estrada escorregadia, eu recomendo manter os riscos de lesão no mínimo .

Vê aqui 8 razões para usar a passadeira


Dica 3: Usar a técnica de Camada

Com temperaturas muito baixas , é importante reduzir o risco de lesões musculares aquecendo os músculos, especialmente na fase inicial do treino.
No entanto os corredores podem efectivamente subraquecer, devendo assim evitar a velha máxima para a roupa de inverno "mais é melhor" . Mantém as pernas cobertas com um par de calças leve, incluindo uma camada externa, mas tenta usar roupas que podem ser facilmente retiradas depois dos primeiros 25 a 30 minutos de treino.


Dica 4: Preocupa-te menos com tempo e muito mais com esforço

Como vais treinar nas estradas neste inverno , lembra-te das palavras do falecido grande corredor Checo Emil Zatopek , que disse que o inverno "fez campeões não com ritmo, mas com esforço".
Zatopek , quatro vezes medalha de ouro olímpico e o único homem a vencer os 5.000 m, 10.000 m e a maratona nos mesmos Jogos, sabia o que dizia. Ele passou muitos invernos de treino duro na Checoslováquia, em preparação para as temporadas de corrida no verão. A sua mensagem é simples e os corredores de todas as idades devem prestar atenção: Utiliza o inverno para repor, recarregar e concentrares-te mais em quilometros percorridos do que em ritmo de corrida.
Este é o momento de arrumares os teus Garmins e medidores de ritmo e tornares-te no corredor “old-school” que corre por sentimento.


Dica 5 : Foco na Hidratação

A ingestão de líquidos regula a função dos órgãos e a recuperação eficaz dos tecidos. Uma hidratação adequada é essencial para todos os  atletas. Temperaturas mais baixas, no entanto, podem enganar os corredores, quando se trata de sede e da necessidade de ingestão de líquidos. Atletas relatam frequentemente um nível reduzido de sede durante os treinos no inverno, mas uma grande quantidade de água acaba por ser perdida pela respiração.

Além disso, durante as estações mais frias, o nosso corpo trabalha mais, pois o peso da roupa extra é também maior e o suor evapora-se mais rapidamente com o ar mais frio e seco. Mantém uma garrafa de líquidos contigo durante todo o dia, como farias durante o verão, e certifica-te que repões os eletrólitos através de bebidas que contenham sódio, particularmente para aqueles atletas que correm mais quilometros.


O inverno é uma excelente época para um treino aeróbio e como preparação para a primavera e verão.
Segue estas dicas para evitares lesões e melhorares o teu treino.