Ivan Fernández Anaya, atleta espanhol de 24 anos, ensinou-nos que ganhar não é tudo.

Na prova de cross country de Burlada, em Navarra, no dia 2 de Dezembro de 2012, Abel Mutai, queniano medalha de ouro nos 3.000 m com obstáculos em Londres, era primeiro na corrida quando parou, pensando que a corrida tinha terminado.

Ivan Fernández Anaya podia ter aproveitado esta oportunidade para ultrapassa-lo a apenas 10 metros da meta, mas em vez disso informou Abel do erro que tinha cometido e conduziu-o á vitória.

Gesticulando e empurrando Mutai, Fernandez deixou o seu colega vencer a prova, algo que iria acontecer caso o queniano não se enganasse.

Hernandez disse no final: “Ainda que me tivessem dito que podia ganhar uma vaga na Seleção espanhola para disputar o Campeonato Europeu, eu não teria aproveitado. Acho que é melhor o que eu fiz do que se tivesse vencido nessas circunstâncias. E isso é muito importante, porque hoje, como estão as coisas em toda sociedade, no futebol, na sociedade, na política, onde parece que vale tudo, um gesto de honestidade vai muito bem.“

Devido ao seu desportivismo e honestidade, Ivan Fernández continua a ser cumprimentado, elogiado e aclamado pela sua atitude e honestidade durante o evento.

Considerado um atleta de muito futuro em Espanha, Ivan disse: “Eu não merecia ganhá-lo. Fiz o que tinha que fazer”

O video do feito:

Um exemplo do que poderia ter acontecido caso as coisas se tivessem passado de maneira diferente pode ser visto aqui:

Certamente que a sensação que cada um de nós tem quando obtém um bom resultado numa competição será diferente consoante os meios que empregamos para atingir esses fins. E os meios podem passar por falta de fair play; uso de substância que alterem a nossa performance física, etc.

Mesmo que consigamos ludibriar os nossos adversários ou aqueles com quem partilhamos os nossos feitos, não poderemos deixar de nos enganar a nós próprios.