Rampas

 Podemos distinguir dois tipos de rampas que podem ser realizados em diferentes momentos da época desportiva, cumprindo objetivos distintos no processo de preparação dos atletas:

 

 Rampas de força:  

 Procura-se, acima de tudo, associar a corrida a um desenvolvimento dos níveis de força dos atletas.

Este tipo de rampas caracteriza-se por ter uma forte inclinação que obriga os atletas a produzirem elevados níveis de força para as subirem.

 

Rampas de transferência:

 Tratam-se de rampas em que o atleta procura uma maior transferência dos níveis de força obtidos, com a utilização de rampas mais suaves, que permitam a obtenção de elevados níveis de velocidade.

 Podemos ainda classificar diferentes tipos de rampas de acordo com a distância a percorrer. Assim, podemos ter:

 

Rampas Curtas - Inferiores a 100m, com uma inclinação de 10 a 15%. Devem ser percorridas a velocidades elevadas com recuperação activa de 3 a 5’.

 

Rampas médias - Entre 100 e 250m e uma inclinação de 5 a 10%. Devem ser percorridas a intensidades igualmente elevadas. Intervalos de 2-3’. Trata-se de um treino que conduz a uma grande acumulação láctica e que exige vários dias para supercompensação.

 

Rampas longas - Podem ser realizadas sobre os princípios que regem a organização do treino intervalado ou de ritmo-resistência, já referidos anteriormente.

 

 

 

Dunas

 

Treinos realizados em zonas de areia, com subidas e descidas de forte inclinação, com corrida rápida ou lenta, procurando grandes variações das condições de terreno e de intensidades de corrida.

 

Corrida em Areia

Procura-se uma maior transferência dos ganhos da força para a corrida, realizámos treinos de corrida em areia molhada (junto à água), de modo a que, além da força necessária para a corrida, se pudesse atingir velocidades de corrida relativamente elevadas e uma atitude técnica mais próxima da que caracteriza a corrida em piso mais duro.

 

 

 

 

Fonte: O treino do corredor de meio fundo- reflexões e propostas de trabalho     Filipe Pedro,  Paulo Colaço 2001/2002