Um dos maiores mitos que existe no mundo da corrida reside na crenças que só nos tornamos melhores corredor apenas e só com o acumular de quilómetros. Mas um bom plano de treino deve incluir também outras actividades, produzem mais efeitos que o simples acumular de Kms.

O treino muscular específico é ao contrário da crença instalada, fundamental na obtenção de melhores resultados.

 

A musculação deve assumir um papel de destaque, tal como os alongamentos e uma alimentação cuidada

 

Músculos, ligamentos e tendões fortalecidos protegem contra o impacto, melhoram a postura e proporcionam uma passada mais consistente. Quando os músculos não estão fortalecidos, as passadas tornam-se diferentes umas das outras, fazendo que a mente e o corpo não saibam o que esperar. Pelo contrário, quando o atleta que tem o corpo fortalecido corre, o cérebro diz aos músculos para prepararem-se para o impacto antes de os pés tocarem o chão, accionando tambem os abdominais, os dorsais e os glúteos por forma a estabilizar todo o corpo. 

 

Muitos corredores apresentam fraqueza em pelo menos um grupo muscular, bem como nas vias neuromusculares, que caracterizam as linhas de comunicação entre o cérebro e o corpo. Essas fraquezas musculares dão origem a desiquilibrios e têm como consequência imediata uma fraca e deficiente postura e passada, podendo a medio prazo originar lesões

 

É frequente vermos corredores queixarem-se de dores no joelho, sendo que grande parte são originados, por um dos mais frequentos desiquilibrios musculares, que pratica apenas corrida.

 

O desiquilibrio originado pelo facto quadricepes estarem sub desenvolvidos em relação aos isquotibiais que são normalmente muito mais solicitados durante a corrida.

  

Outros desequilíbrios normalmente observados nos corredores prende-se com a falta de treino dos musculos superiores em relação aos musculos das pernas, tendo como principal consequencia as famosas pubalgias

 

Um dos grandes argumentos que têm sustentado a ausencia de exercicios de fortalecimento muscular associados à corrida prende-se com o medo de quse todos os corredores têm de aumentar demasiado massa muscular e ficarem lentos.

 

 

 

 

Para evitar que aconteça, podem sempre optar por simples, mas eficazes, exercicios pliometricos, realizados apenas com o peso natural do corpo. Ou em caso de utilizarem maquinas de musculação optar por mais repetições (entre 15 a 25) com peso mais leves