A maioria dos manuais sobre corrida simplesmente irá insistir que o consumo destas substâncias está totalmente proibido. No entanto o cumprimento desta regra pode ser irrealista para a maioria dos atletas de pelotão que gostam de beber a sua cerveja ou copo de vinho e apreciar um bom café. Por isso o fundamental é tentar entender até que ponto estas praticas são prejudiciais e até que ponto o seu impacto na performance pode ser minimizado.

 

 

Álcool

O Álcool actua principalmente ao nível do cérebro e sistema nervoso. Uma ou duas bebidas levam a um relaxamento e alívio da tensão acumulada. No entanto, e a curto prazo levam a desidratação.

Então como atingir o tão desejado equilíbrio? Se na véspera de uma prova importante uma redução da tensão pode ser benéfica a minima desidratação causada pelo efeito diurético do álcool deve ser evitada se desejamos obter a máxima performance.

Com este pensamento em mente devemos limitar o consumo de álcool para um máximo de copos de cerveja ou  um de vinho na noite de véspera  Este consumo de álcool deve ser contrabalançado com a ingestão de agua por forma a contrariar este efeito. Deve beber-se perto de 30ml de agua por cada 30ml de cerveja  e 3 vezes mais ( 90ml) para a mesma quantidade de vinho. Este principio também deve ser seguido nas vésperas dos treinos mais longos.

Após uma prova ou treino, convêm esperar, ate estar razoavelmente hidratado antes de brindar com a sua bebida favorita. A não hidratação pós prova ou treino condiciona a recuperação.

 

 

Na segunda parte deste artigo iremos abordar o consumo de cafeína

 Fonte: “Advanced Marathoning” Pete Pfitzinger e Scott Douglas 

 

Provas disponíveis 

(km)< 2142> 42Total
Portugal 629 4 115 748
USA 0 376 0 376
Brasil 62 0 0 62
Canadá 0 56 0 56
Outros 0 51 0 51

Número total 1293 provas disponíveis

Google+