Esta é a primeira rubrica dedicada aos atletas de elite!

Já há algum tempo que tínhamos reparado, num dos nossos locais de treino habitual, perto do Palácio de Queluz, que um dos frequentadores desse espaço estava num patamar completamente diferente do resto de nós.

 

Desde logo, a sua maneira de correr, a sua postura corporal, a maneira solta e descontraída com que se desloca a enorme velocidade pelos trilhos irregulares da mata de Queluz, e os sprints alucinantes de cortar a respiração até àqueles que só estão a ver, deu a entender que seria um atleta de topo.

Mas foi com alguma surpresa que constatámos tratar-se de um atleta que tem sido campeão nacional de velocidade nos 800 e 1500 metros desde 2010 até à atualidade, tendo inclusive representado a Seleção Nacional em provas internacionais onde ombreou com os melhores do mundo na dignificação deste nosso país…

Sendo nosso intuito dar a conhecer o atletismo e promover ativamente este desporto, não podemos deixar de pedir desculpas aos nossos seguidores, por apenas agora começarmos a dar a conhecer os atletas que constituem a nata deste desporto, em Portugal. Esperamos conseguir, numa cadência mais ou menos regular, dar a conhecer os atletas nacionais de topo em Portugal na área do atletismo e, nomeadamente, nas provas de distância.

Miguel Moreira - Campeão nacional de 800 e 1500m

O Miguel Moreira é um jovem atleta nascido e criado em Queluz, que representa, desde 2010, o Sport Lisboa e Benfica  e desde júnior, a Seleção Nacional, nas distâncias em que se especializou, 800 e 1500 metros, onde já foi Campeão de Portugal Absoluto, Sub23 e Junior.

  • 400m:  49,77 (RP) 49,86 (2013)
  • 800m:  1.49,09 (RP) 1.49,36 (2013)
  • 1500m 3.46,46 (RP)

O Miguel teve uma infância normal mas sempre bastante ativa a nível desportivo, praticando bicicleta e jogando futebol. Os pais lembram-se que, desde pequeno, ele passava a vida a correr de um lado para o outro e tinham de lhe estar sempre a dizer para estar quieto. “A única coisa que ele sabia fazer era correr”, comentam os pais. (ver video, disponível na página pessoal do Miguel, realizado pelo Benfica TV).

Desde muito jovem que mostrou uma grande aptidão para o desporto, tendo começado aos 10 anos, enquanto frequentava o 5º ano, a jogar futebol no Real de Massamá. O atletismo surgiu por acaso, numa ocasião em que ficou em primeiro lugar, numa prova de corta mato, no âmbito do desporto escolar da sua escola.

Este e outros bons resultados, alcançados em tenra idade, levaram-no a ganhar o gosto pelas vitórias e a formar em si a disciplina e a vontade de trabalhar continuamente para poder sentir o prazer destas conquistas.

A assistir à prova estavam Carla e Luis Jesus, que detetaram imediatamente em Miguel uma enorme predisposição biológica para a prática deste desporto e o convidaram a integrar aquele que seria o seu clube de formação, A.A Pêgo Longo.

 

Nesse clube experimentou várias modalidades, tais como o salto em altura e o salto em comprimento, mas foi nas distâncias de meio fundo que sentiu uma maior inclinação. Na fotografia acima podemos o Miguel Moreira e a Carla Jesus, a aguardarem calmamente pelo começo da prova do Tejo.

A participação no Campeonato de Europa e no Campeonato do Mundo de Juniores, na distância de 1500m, pelo Clube do Pêgo Longo, deu-lhe bastante notoriedade, tendo assim surgido o convite para integrar a equipa do Benfica.

O Benfica, sendo um clube maior e com maior peso, fez abrir outras portas, deu-lhe outra projeção e outra visibilidade a nível nacional e permitiu-lhe alargar o contacto com outras pessoas envolvidas no meio desportivo. O Benfica proporcionou a integração com outros atletas jovens e ambiciosos, tendo sido, do ponto de vista do Miguel, uma experiência muito motivante.

Fora das pistas, frequenta o curso de Mestrado Integrado em Arquitectura no ISCTE-IUL e elabora projetos na área do Design. Nos tempos livres, tenta estar com os amigos, ver televisão, tocar guitarra e ainda dedicar algum tempo à fotografia.

Não sendo portanto o desporto, uma carreira a tempo inteiro, qual é então o segredo para alcançar resultados que apenas poucos em Portugal conseguem? Especialmente no que diz respeito aos tempos realizados nas distâncias curtas? Alguns dos fatores já referimos aqui, tais como um potencial genético bastante elevado e a prática continuada, por mais de dez anos, neste desporto. Mas, além disso, ainda um outro aspeto importante. É que, de pouco vale um potencial enorme se não houver o espírito de sacrifício necessário para concretizar na prática todas as aptidões inatas de um atleta. Esse espírito de rotina passa por uma boa gestão do tempo e uma rotina de treino rigorosa, conciliando os estudos com o treino e o descanso.

O Miguel é apontado, pela família e amigos como sendo alguém muito ambicioso, que tenta sempre dar o máximo e ser o melhor em tudo o que faz. É alguém que estabelece objetivos altos e que tenta fazer tudo o que pode para os alcançar. É humilde, nunca desiste, super empenhado, inteligente, um perfecionista.

O que é que o atletismo lhe ensinou?

O atletismo ensinou-me a gerir o tempo, a ter um espírito competitivo e a querer ser o melhor... ter um estilo de vida saudável... Uma pessoa no atletismo habitua-se a dar mais de si, e a meter esforço no que faz, e isso reflete-se noutras coisas da vida…

Estivemos a ver o teu site o facebook  e verificamos que fizeste um excelente resultado na Corrida do Tejo, onde ficaste em 5º lugar, com um tempo de 31 minutos e 22 segundos. Na tua mensagem dizias: “Preparem-se, agora a próxima prova será uma meia-maratona, depois uma maratona e depois só paro na ultramaratona (mas essa é para ganhar!)” Planeias mesmo começar a apostar nas longas distâncias?

Neste momento, pretendo continuar nas provas de pista (800 e 1500 metros). As provas de distâncias mais longas serão uma forte possibilidade no futuro, mas agora não penso muito nisso, porque acredito que ainda tenho muito para fazer na pista. Contudo, na preparação de inverno tenho por hábito fazer provas mais longas para adquirir mais resistência, acontece que nessa preparação vou a algumas provas de estrada e ultimamente tem corrido bastante bem.

 

Achas que algum dia te poderemos ver a tentar uma participação nos Jogos Olímpicos?

Os Jogos Olímpicos são o objectivo de qualquer atleta que se dedique seriamente ao desporto. Eu não sou excepção, também ambiciono os J.O., treino todos os dias para ser cada vez melhor e com isso, um dia, chegar aos Jogos. Poderia dizer tudo aquilo que quero fazer, mas habituei-me a primeiro trabalhar forte e depois mostrar os resultados. Quero permanecer com esta postura, para continuar a surpreender os outros mas sobretudo a mim. Em suma, poderia dizer que adoro correr e sou feliz a correr, quero continuar assim (e ir aos Jogos, claro!).

Tens algum treinador no Benfica? ou continuas a ser treinado pelo Luís Jesus?

O Benfica é um apoio extremamente importante, tem uma estrutura muito bem organizada, desde a direcção ao sector médico, mas quanto ao treinador optei por manter a pessoa que me tornou o atleta que sou hoje, o Luís Jesus. Conheci-o quando tinha 10 anos e desde essa altura que sou acompanhado por ele (durante uma fase também tive o Professor Fonseca e Costa a orientar-me), mas o Luís esteve sempre presente. Foi muito saudável crescer naquele grupo de treino, para além de bons atletas, aprendemos muito sobre outros valores, aquilo foi uma escola. Com o Luís continuo a aprender muito, a experiência dele de vida e de atleta olímpico é bastante rica. Às vezes gostava de ter um caderno sempre à mão para apontar os ensinamentos dele!

Contactos do Atleta