Há três anos atrás alguém me dissesse que hoje estaria a completar uma maratona, diria que era louco, jamais! Aliás, correr para mim sempre foi tortura, por isso correr cerca de 42 kms só poderia ser em sonhos… Sempre adorei desporto, mas correr nunca esteve nos meus planos, até cerca de 2 anos atrás, quando comecei a participar em provas de atletismo. Todo o ambiente e desafio foram perfeitos para me apaixonar por este desporto fascinante, é fácil uma pessoa se “viciar” nele :)

Quando comecei estava numa fase de perda de peso, com cerca de 76 kgs, antes disso já tinha chegado aos 99.8 kgs! Quando decidi correr, foi numa fase de estagnação de peso, onde cada vez era mais difícil perder um 1 kg, por muito desporto que fizesse, por isso decidi complementar os meus treinos com a corrida, que é fantástica para perder os kgs a mais! E assim foi, comecei a dois anos, com objetivos atrás de objetivos alcançados, que me fizeram manter a motivação em alta e até que surgiu o grande objetivo – completar uma maratona!

A Maratona de Lisboa era perfeita, no local onde vivo, onde treino, numa época do ano fantástica, por isso decidi iniciar os treinos de preparação. Tudo começou nos finais de Junho, seguindo o plano de treinos da maratona de Valência. Em mais de três meses de treino, foi um total de 833,24 kms, conciliando com 3 treinos de força semanais. Quando comecei não estava habituada a correr regularmente, apenas em provas e no ginásio, por isso este foi um grande desafio para mim!

06 Outubro 2013, dia da Maratona – o dia começou com algum nervosismo, principalmente com os receios de conseguir completar a prova, se levo tudo comigo, se os géis não me vão fazer mal ao estômago, como me vou aguentar sem casa de banho, etc, etc.. Felizmente, tudo correu bem, desde o tempo fantástico, pois para mim o calor é um aliado, os meus “intestinos” portaram-se bem, reagi bem aos géis e águas isotónicas (pelo menos até ao km 35), o ambiente da prova foi fantásticos, muitos amigos, o percurso belíssimo, muitas pessoas a apoiar e a organização da prova excelente, sempre com bons abastecimentos!

 Consegui conter um pouco a minha empolgação, o meu objetivo era chegar entre as 4h e 4h15, e queria fazer os primeiros 20 kms a um ritmo próximo dos 5’50”/km, mas claro que com as descidas acabei por fazer um ritmo mais baixo, mas dentro dos limites previstos!

Quando chego ao km 18, o meu tornozelo começa a dar sinais de alerta, por isso optei por reduzir o ritmo para tentar aguentar até ao fim! Quase a chegar ao km 30 e o corpo começa a dar sinais de alerta, de desidratação, digo a mim mesma, agora é que vai começar a prova… kms 34, já peço ajuda a Deus, procuro o meu apoio incondicional.. preciso dele para continuar… as dores não são musculares, é mais a desidratação e a fadiga geral, mesmo estando a beber água e os respetivos abastecimentos… mas o calor é forte, a sede aperta… km 35, lá está ele! Vejo a luz ao fim do túnel, o meu ritmo vai descendo, mas não paro.. ele puxa por mim, dá todo o apoio que preciso.. km 38, quero tanto parar.. comando o meu corpo para continuar, não ceder.. km 40, se o meu corpo fosse um carro, estariam todos os sinais ligados, mas o pior mesmo eram as dores abdominais, pareciam facadas.. ele continua do meu lado a dar força, ouço o apoio das pessoas, elas não imaginam a força que isso nos dá! Tento aumentar o ritmo para chegar antes das 4h10.. estes kms finais são mesmo uma tortura, não consigo explicar em palavras as dores que sentimos, a meta que nunca mais chega…

 Finalmente lá está ela, 4h09! As emoções são muitas ao passar a meta, satisfação pelo objetivo cumprido, alívio, alegria, chorei pela alegria que senti! Quando finalmente parei, as dores atacam.. os tornozelos estão muito magoados, custa-me andar, posso dizer que tenho um andar novo :) A sede é o que mais me ataca.. não consigo comer, apenas quero devorar bebidas frescas e assim fiz, até ao ponto de ficar mal disposta e querer vomitar, mas felizmente resisti!

No final, as mazelas foram algumas: ferida no dedo polegar, fiquei com uma bolha de tanto abrir garrafas de água! Para além disso tenho as costas todas ferias devido ao cinto que levei para os abastecimentos e uma unha do pé estava cheia de sangue pisado, bem posso dizer adeus à unha… os tornozelos doem bastante, estão a gelo e voltaren.. Descer escadas é o mais complicado por agora :)

E assim foi esta aventura, 42.125 kms feitos em 4h09, a um ritmo médio de 5’53”/km, sem parar uma única vez! Se valeu a pena, sem dúvida que sim, se é para repetir, obviamente, mas para já o que preciso mesmo é de descanso, depois é tempo de pensar num novo objetivo :)

Não posso deixar de agradecer a todos os que me apoiaram nesta aventura, especialmente a ti, que me aturaste estes meses todos de treino, a ti que estiveste comigo até ao fim.. Obrigada por tornares esta “loucura” saudável numa realidade!

Pode ver o artigo original aqui.

 

Provas disponíveis 

(km)< 2142> 42Total
Portugal 629 4 115 748
USA 0 376 0 376
Brasil 62 0 0 62
Canadá 0 56 0 56
Outros 0 51 0 51

Número total 1293 provas disponíveis

Google+